do lixo que está nos oceanos é plástico. Isso impacta diretamente na vida marinha e desregula todo o ciclo alimentar. Oceano Limpo é a nova meta da POSITIV.A que reflete na ação de remover e reaproveitar os plásticos provindos das praias e dos mares, transformando resíduos em produtos como o esfregão feito de rede de pesca reciclada e embalagens para os produtos líquidos baseadas na economia circular.

    do lixo que está nos oceanos é plástico. Isso impacta diretamente na vida marinha e desregula todo o ciclo alimentar. Oceano Limpo é a nova meta da POSITIV.A que reflete na ação de remover e reaproveitar os plásticos provindos das praias e dos mares, transformando resíduos em produtos como o esfregão feito de rede de pesca reciclada e embalagens para os produtos líquidos baseadas na economia circular.

   do lixo que está nos oceanos é plástico. Isso impacta diretamente na vida marinha e desregula todo o ciclo alimentar. Oceano Limpo é a nova meta da POSITIV.A que reflete na ação de remover e reaproveitar os plásticos provindos das praias e dos mares, transformando resíduos em produtos como o esfregão feito de rede de pesca reciclada e embalagens para os produtos líquidos baseadas na economia circular.

SOBRE O PROJETO

A POSITIV.A se inspira na economia circular para criar e produzir! Em agosto de 2017 chamamos a Boomera pra nos ajudar a desenvolver uma embalagem inovadora que gerasse impacto positivo. Visitamos cooperativas no litoral de São Paulo para entendermos mais a fundo a “problemática do lixo” e assim iniciamos o novo projeto OCEANO LIMPO. 

A matéria prima do frasco é 100% pós consumo! Selecionamos apenas PEAD – Polietileno de Alta Densidade por ser livre de Bisfenol e maleável (podendo, assim, reaproveitarmos mais vezes a embalagem como refil). Consideramos o material um plástico de oceano e social! Compramos o material triado por cor em fardos das cooperativas que atuam no litoral paulista, principalmente, em Santos e evitam que esse lixo vá parar no oceano!

Os fardos são destinados à fábrica da Boomera em SP que faz a lavagem e segunda triagem. O material é destinado à moagem, ou seja, transformado em flakes! É feita uma segunda lavagem para então passar pelo processo de extrusão e ser transformado em pellets (partículas menores de plásticos fundidas)!
Em seguida, é injetado no nosso molde exclusivo e é feita a serigrafia do rótulo para evitar mais resíduos e facilitar a distinção dos produtos por cor.

Confira o ciclo de vida dos nossos produtos, conforme gráfico abaixo:

CICLO DE VIDA

RESÍDUO NAS PRAIAS E OCEANO

Alguns estudos estimam que até 2050, se nada for feito, haverá mais plásticos do que peixes em nossos oceanos. Ao longo do tempo o ser humano, em prol da comodidade e do modelo de consumo gerado na Revolução Industrial, passou a criar más práticas para utilização dos plásticos. Itens de uso rápido ou com obsolescência programada, acabam gerando impacto enorme para o planeta. Em setembro de 2018 realizamos nosso primeiro mutirão de limpeza OCEANO LIMPO com 52 voluntários e conseguimos visualizar de perto como é necessário fretar o consumo de plástico virgem e dar uma nova vida para o que já existe.

TRIAGEM DO MATERIAL NA COOPERATIVA

Por meio dos programas de coleta seletiva de materiais recicláveis dos municípios, ou dos pontos de entrega voluntários e até mutirões de engajamento para limpeza de áreas urbanas, os resíduos plásticos recicláveis chegam às cooperativas. Especificamente os frascos de polietileno são fonte de receita imediata por tratar-se de uma embalagem de um único material e mais pesadas (quando comparado a outros itens como sacolinhas ou saquinhos de salgadinhos e bolachas). Esse peso gera mais produtividade na triagem e consequentemente mais receita para os cooperados.

FLAKES

Após o processo de coleta e triagem nas cooperativas, o material é lavado e moído mecanicamente para que as impurezas (resíduos orgânicos e sujeiras) saiam. Após a lavagem e moagem, os flakes são secos e estão prontos para serem reciclados.

PELLETS ATÉ A TRANSFORMAÇÃO EM EMBALAGEM

Em forma de flakes, limpos e secos, o plástico é introduzido num equipamento chamado extrusora, onde é fundido em altas temperaturas. O material fundido recebe a introdução de aditivos (que recuperam parte das características originais do plástico) e estão prontos para voltar a ser embalagem de novo. No processo de transformação, os pellets são fundidos novamente e passam por um processo de moldagem por sopro, adquirindo o formato de frascos.

CICLO DE VIDA

RESÍDUO NAS PRAIAS E OCEANO

Alguns estudos estimam que até 2050, se nada for feito, haverá mais plásticos do que peixes em nossos oceanos. Ao longo do tempo o ser humano, em prol da comodidade e do modelo de consumo gerado na Revolução Industrial, passou a criar más práticas para utilização dos plásticos. Itens de uso rápido ou com obsolescência programada, acabam gerando impacto enorme para o planeta. Em setembro de 2019 realizamos nosso primeiro mutirão de limpeza OCEANO LIMPO com 52 voluntários e conseguimos visualizar de perto como é necessário fretar o consumo de plástico virgem e dar uma nova vida para o que já existe.

TRIAGEM DO MATERIAL NA COOPERATIVA

Por meio dos programas de coleta seletiva de materiais recicláveis dos municípios, ou dos pontos de entrega voluntários e até mutirões de engajamento para limpeza de áreas urbanas, os resíduos plásticos recicláveis chegam às cooperativas. Especificamente os frascos de polietileno são fonte de receita imediata por tratar-se de uma embalagem de um único material e mais pesadas (quando comparado a outros itens como sacolinhas ou saquinhos de snacks). Esse peso gera mais produtividade na triagem e consequentemente mais receita para os cooperados.

FLAKES

Após o processo de coleta e triagem nas cooperativas, o material é lavado e moído mecanicamente para que as impurezas (resíduos orgânicos e sujeiras) saiam. Após a lavagem e moagem, os flakes são secos e estão prontos para serem reciclados.

PELLETS ATÉ A TRANSFORMAÇÃO EM EMBALAGEM

Em forma de flakes, limpos e secos, o plástico é introduzido num equipamento chamado extrusora, onde é fundido em altas temperaturas. O material fundido recebe a introdução de aditivos (que recuperam parte das características originais do plástico) e estão prontos para voltar a ser embalagem de novo. No processo de transformação, os pellets são fundidosnovamente e passam por um processo de moldagem por sopro, adquirindo o formato de frascos.

Apresentamos a vocês nossa nova embalagem circular feita com plástico de oceano. Isso significa que, além de ser reciclável, ela é produzida a partir de plástico de pós-consumo, obtido em cooperativas de catadores que coletam materiais no litoral de São Paulo. Com essas embalagens, você, junto com a POSITIV.A, contribui para a redução do consumo de recursos naturais, aumento da renda dos cooperados e ainda evita que plásticos terminem em aterros sanitários, lixões e no oceano.

ONDE RECICLAR

Quando seu produto acabar, você pode reutilizar a embalagem com nossas opções de refil 5 litros, ou lavar normalmente a embalagem com água e destinar às cooperativas listadas aqui ou pontos de coletas seletivos disponíveis em todo Brasil. Assim as embalagens seguem a lógica da economia circular e retornam como fonte de renda para as cooperativas e novos insumos para criação de novos frascos. Atualmente no Brasil não é permitido que empresa de produtos de limpeza possa envasar novamente uma embalagem usada, logo esse caminho circular é o melhor que encontramos. Esse projeto materializa a economia circular e é resultado de uma parceria entre a POSITIV.A, a Boomera e as cooperativas envolvidas.