Produtos de Limpeza Convencionais Podem Estar Relacionados a Obesidade Infantil

obesidade infantil

As avós já diziam, e os cientistas atuais comprovam: limpeza excessiva e infância sem contato com algumas bactérias pode acabar sendo prejudicial à saúde. Evidências diretas e indiretas de colonização microbiana intestinal alterada durante a infância têm sido associadas à doenças alérgicas e obesidade infantil.

Uma pesquisa realizada por pesquisadores no Canadá aponta que os produtos de limpeza convencionais podem influenciar diretamente o microbioma intestinal de bebês e crianças.

O estudo teve como objetivo analisar se o uso frequente de produtos de limpeza convencionais está diretamente associado a uma propensão ao sobrepeso em crianças.

Segundo esse estudo, a convivência de crianças em ambientes onde são frequentemente usados produtos de limpeza convencionais, repletos de substâncias químicas danosas, pode alterar o seu microbioma intestinal, gerando subsídio para o excesso de peso na infância.

O estudo aponta ainda que, quando feito o uso de produtos ecológicos, o mesmo impacto não é encontrado, observando-se uma propensão menor ao sobrepeso ou obesidade infantil.

 

Como foi feito o estudo

A pesquisa teve como amostragem 757 crianças canadenses. Foram analisadas as composições das floras intestinais no período entre 3 e 4 meses de idade, e depois um acompanhamento do peso dos mesmos quando estes tinham entre 1 e 3 anos de idade. As análises testaram associações entre o uso de produtos de limpeza doméstica e a composição microbiana do intestino no início da vida, e posteriormente, a ocorrência de sobrepeso, como consequências da alteração da microbiota intestinal.

A maior alteração da microbiota foi encontrada em crianças em ambientes com uso frequente de desinfetantes convencionais. Ou seja, as maiores alterações eram compatíveis com o uso de bactericidas desinfetantes que contém alvejantes, branqueadores e peróxido de hidrogênio.

O gênero Lachnospiraceae (associado ao teor glicêmico) apresentou uma possibilidade 1,3 vezes maior de ser encontrado na microbiota intestinal infantil quando no uso frequente de desinfetantes convencionais. O enriquecimento de Lachnospiraceae em bebês de 3 a 4 meses, representa uma forte tendência a um IMC (índice de massa corporal) alto na mesma criança com 3 anos de idade. O estudo indica alterações relevantes até mesmo quando comparado o uso semanal ou diário de desinfetantes convencionais durante a infância e um aumento do IMC na idade de 3 anos. O mesmo perfil de composição de bactérias encontrado foi relacionado também ao surgimento de eczema e diabetes em crianças.

A microbiota dos bebês que viviam em locais onde eram utilizados produtos naturais e ecológicos se mostrou amplamente distinta, com menor propensão à obesidade. Crianças apresentavam um peso normal quando em ambientes com uso de produtos ecológicos, e o gênero Enterobacteriaceae era menos abundante em seu intestino. Os produtos ecológicos também apresentaram eficácia contra Escherichia coli, e quando esses micróbios estão em quantidade menor, a obesidade é menos provável em crianças pequenas.

O microbioma intestinal é um complexo interno de bactérias presentes no organismo, que auxiliam em quase todas as funções do corpo humano. Os microbiomas são suscetíveis e moldados conforme o estilo de vida, a alimentação e as mudanças do ambiente. Sendo assim, fica extremamente vulnerável às perigosas e agressivas substâncias presentes em produtos de limpeza como alvejantes, desinfetantes, água sanitária, entre outros.

 

obesidade infantil

 

”Esses ativos deixam resíduos nas roupas e louças, mesmo após a lavagem. Sem contar que o cheiro intenso de ativos sintéticos prejudica o sistema respiratório”, diz a diretora de produtos Marcella Zambardino da POSITIV.A. Já os ecologicamente corretos têm como base ativos vegetais e hipoalergênicos, que não deixam resíduos e contam com fragrâncias de óleos essenciais.

 

A solução

Um levantamento importante que caminha junto com a pesquisa é de que, famílias que possuem o hábito de consumir produtos de limpeza ecológicos, também adotam modos de vida mais saudáveis no geral, fato que também pode influenciar no resultado da pesquisa.

O estudo fornece novas informações sobre o impacto desses produtos repletos de substâncias nocivas na composição microbiana do intestino das crianças e nos resultados do excesso de peso nas mesmas.

Atenção: Os nomes das substâncias presentes nos desinfetantes nem sempre estão presentes nos rótulos. Cuidado quando encontrar a palavra “aditivos” na composição dos produtos de limpeza, principalmente se tiver alergia a algum químico. Entre em contato com o fabricante para saber a composição exata dos produtos! O universo microscópico presente em nosso corpo pode ser definitivo para nossa saúde.

Há quem diga que produto de limpeza é produto de limpeza! A POSITIV.A vem para desconstruir essa ideia e reafirmar a importância de cuidarmos da nossa saúde e do meio ambiente nos pequenos detalhes do dia a dia, como na limpeza do nosso lar.

Todos os produtos POSITIV.A são naturais, sem quaisquer substâncias químicas ou derivados de petróleo que interfiram na microbiota dos bebês, crianças e adultos e no desenvolvimento da obesidade.

Experimente nossa ECOBOX P e tenha sua casa limpa e saudável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *